Novidades: Nosso príncipe chegou

foto-lorenzo
Gente, estamos muito felizes. Depois de muita espera, o nosso Lorenzo finalmente chegou. Foi no dia 17 de outubro, as 09h39, com 41 semanas de gestação de parto cesariana.
Quem nos acompanhou sabe o quando desejamos parto normal, mas infelizmente não deu. Vou contar como foi.

A data provável do parto era dia 09 de outubro. Todo mundo achava que ele vinha antes, pois eu inchei bastante nos últimos dias e estava bem ofegante já, mas deu o prazo e nada. Minha obstetra pediu para eu começar a ir a cada dois dias na maternidade que eu tinha escolhido para o parto, para fazer acompanhamento. Ela não poderia me atender mais pois estava saindo de licença médica naquele dia. Mas que estava tudo certo para aguardar o parto normal. Bebê encaixado e tudo mais.
Assim fizemos, fomos na sexta, na segunda, tudo certo com o bebê. O líquido amniótico estava diminuindo mas os batimentos estavam bons. O colo ainda estava alto e com 1 cm de dilatação. Fui orientada a voltar na quarta. Todos estes atendimentos eram com os obstetras plantonistas, então cada dia era um médico diferente.
Na quarta, 16/10, fui a consulta já um tanto apreensiva, pois completávamos 41 semanas naquele dia e nada de contrações. Antes de entrar, oramos e entregamos tudo nas mãos de Deus.
Assim que eu entrei e o plantonista viu que eu estava de 41 semanas, me perguntou porque eu não tinha ido pela manhã para me internar. Falei que estava esperando o parto normal e ele disse que era muito arriscado, pois eu já estava com pouco líquido e o trabalho de parto não estava evoluindo. Estava com 2 cm de dilatação e nada de contração. Pediu para que eu viesse cedo na quinta-feira, em jejum, preparada para internar. Que poderiam tentar uma indução mas que o bebê nasceria naquele dia.
Saí de lá arrasada. Meu esposo estava na sala de espera conversando com um rapaz que esperava a esposa. Tentei me conter, mas estava chorando e ele notou. Disfarçou e me tirou dali. Me senti muito frustada, impotente. Sonhei tanto com esse momento e estava tudo encaminhando para uma cesariana.
Oramos de novo ao voltar para o carro. Pedi para Deus confortar meu coração e que fosse feita a vontade dele. Avisamos a família e os amigos intercessores que quinta era o dia, preparamos tudo e fomos deitar.
Obviamente que a ansiedade não me deixou dormir muito, mas durante o pouco que cochilei, acordei sentindo umas contrações bem fraquinhas. Era umas 2 horas da manhã. Fui ao banheiro e notei que o tampão tinha saído. Tomei um banho bem gostoso, coloquei um absorvente e deitei de novo. Por volta das 4 horas acordei de novo e vi que o absorvente estava molhado. A bolsa tinha estourado, mas não chegou a encharcar. Eles estavam certos. Pouco líquido. As contrações aumentaram um pouco. Tomei outro banho quente e como não era nada forte, esperei dar 5h30, o horário que tínhamos combinado para acordar.
Saímos de casa 6h30. Meu esposo, minha mãe, meu pai e eu. Meu pai pegou uma carona com a gente. Ele trabalha perto da maternidade e levou uma muda de roupa para quando o bebê nascesse ele ir para lá. Meu marido fez um trajeto de 30 minutos em 15, mas fora isso tudo certo. (risos)
Chegamos na maternidade e me internei as 07 horas em ponto. Conversei com a obstetra plantonista e ela me colocou para fazer a cardiotocografia. Disse que íamos tentar o parto normal. O resultado foi contrações regulares, apesar de fracas. Fizemos então um exame de toque e deu 3 cm de dilatação, só que a bolsa não estava totalmente rompida e ela decidiu fazer manualmente. Nos preparamos, a médica, a enfermeira e eu para um banho, mas para o nosso espanto não saiu nada, apenas uma gosma verde amarronzada. A obstetra falou com a enfermeira que parecia mecônio. Eu olhei e disse que para mim parecia também. Aquilo era verde. Eu já tinha lido sobre isto e comecei a ponderar comigo mesma. Ver os prós e os contras. Se fosse parto normal seria um parto seco, teríamos que fazer indução pois as contrações estava fracas e além de tudo com risco do bebê aspirar mecônio. Esse momento foi um tanto difícil pois o meu marido não estava comigo. Mas lembrei que minha obstetra sempre disse que parto normal é quando nem a mãe, nem o bebê sofrem. Não adianta ficar um tempão tentando o parto normal para depois sofrer um monte ou o bebê sofrer. Meu esposo tinha dito isso também. Pronto. a obstetra nem precisou falar muito. Optei pela cesária. Em menos de 10 minutos já estava na sala da cirurgia. Foi super rápido, apesar de eu ter dito uma reaçãozinha a anestesia e vomitado um pouco.
Ele nasceu super forte, 3,895 com 52 cm. Chorou assim que a médica abriu a placenta. Foi incrível. Meu esposo ficou o tempo todo ao meu lado, até o bebê nascer, claro. Quando ele foi acompanhar os procedimentos com o pediatra e o primeiro banho. Quando trouxeram ele, eu estava um tanto anestesiada, fizemos uma oração apresentando ele ao Senhor e me levaram para a sala de observação e depois para o quarto.
A recuperação da cirurgia tem sido bem melhor do que imaginei. Tirei os pontos com 7 dias e tenho me cuidado bastante para não ter nenhuma reação. Ainda fica aquela sensação de frustação, mas Deus sabe de todas as coisas e com certeza foi o melhor para nós. No fim, não tinha mecônio e tenho certeza que este foi um milagre do Senhor.
Ser mãe tem sido bastante desafiador, principalmente com relação as minhas preciosas horas de sono, mas Deus tem nos capacitado nesta nova jornada.
Assim que possível, volto contando mais novidades e com novos posts.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...